Eu não gostava de Gatos até posta este Video, realmente os gatos são Bonzinhos.


Estrella chamou a atenção no Peru após aprender a andar saltando.
Abandonada por donos, ela foi adotada por casal que tem um abrigo.
Uma cadelinha vira-lata de um ano e meio ganhou status de celebridade em uma pequena cidade do Peru. Nascida sem as patas de frente, Estrella aprendeu a se deslocar saltando como um canguru.
Abandonada nas ruas por seus donos, a cadela foi adotada por um casal que tem um abrigo de animais na pequena cidade de Tinga Maria.

O abrigo, tocado por Ivan Escobar e sua mulher Elva Carhuaz, tem recebido muitos visitantes desde a chegada de Estrella, incluindo várias famílias que querem adotá-la.
O casal está aproveitando a fama da cadelinha para arrecadar fundos para o abrigo, o que permitirá que eles cuidem de mais animais abandonados.              
Elva disse que eles encontraram Estrella quando ela tinha seis meses de idade. Um pouco depois, o animal foi desenvolvendo habilidade de pular sobre as duas patas. “Era como um bebê humano aprendendo a andar”, diz.     
O casal peruano espera que ela sirva de exemplo para as famílias que abandonam seus animais por causa de problemas como esse.

 As cobras, em suas mais variadas espécies, possuem diversas características diferentes, que as ajudam desde a caça até a proteção contra predadores. Sabendo dessas particularidades, um grupo de cientistas da Universidade de Witwatersrand, em Joanesburgo, África do Sul, aparentemente identificou a cobra biúta, cujo nome científico é Bitis arietans, como a primeira espécie animal suspeita de não possuir qualquer odor.

O estudo conduzido pelos pesquisadores consistiu no treinamento de diversos cães e suricatos para reconhecer o cheiro de diferentes espécies de cobras a partir de roupas odorizadas, ou não. Os resultados foram publicados na revista científica Proceedings of the Royal Society B. Eles mostram que a precisão dos cães, tanto para identificar o odor das cobras biútas criadas em cativeiro, quanto para as selvagens, foi percentualmente muito menor em relação às outras espécies, conforme revela o gráfico a seguir:
Na imagem, que mostra a porcentagem de precisão dos cães por tipo de cobra, as siglas representam as seguintes espécies: AHS - aurora house snake, ou Lamprophis aurora; BHS - brown house snake, ou Boaedon capensis; RNA - rhombic night adder, ou Causus rhombeatus (víbora da noite); CS - corn snake, ou Pantherophis guttatus (cobra do milharal); CFS - common file snake, ou Gonionotophis capensis. Já as variedades de biúta de cativeiro e selvagem são representadas pelas nomenclaturas Captive e Wild, respectivamente.
Os suricatos foram submetidos a testes com apenas duas variedades de serpentes, as do tipo Boaedon capensis e as próprias biútas. Isso porque são somente essas que podem ser encontradas no habitat natural desse tipo de animal. De qualquer forma, eles também não conseguiram identificar as cobras que possivelmente não possuem cheiro.
A conclusão dos pesquisadores então, foi de que grande parte do sucesso na caça por emboscada que é realizada pelas biútas acontece em função de sua particularidade de não possuir odores característicos. De acordo com os cientistas, a espécie realiza um tipo de camuflagem olfativa por meio de processos químicos.
Poderosa e venenosa, mas tem seu ponto fraco

A cobra biúta caputura suas presas por emboscada e, eventualmente, pode atacar também humanos distraídos. Em uma investida, essa espécie de serpente, que possui um veneno bastante forte, pode desferir diversas picadas contra seus alvos. Em casos de incidência contra pessoas, 50% das ocorrências não tratadas resultam em morte. Os sintomas iniciais das vítimas consistem em dor, sangramento espontâneo, insuficiência renal e a chamada síndrome compartimental, que pode aumentar a pressão de determinadas regiões do corpo ao ponto de inibir a circulação de sangue para os próprios órgãos afetados.
No entanto, a cobra biúta não é tão rápida, logo ela precisa ficar parada e aguardar até que uma presa se aproxime para poder armar a emboscada. Em estudos prévios sobre rastros de espécimes dessa serpente, os pesquisadores constataram que quanto mais a cobra se move, maior é a chance de ela ser capturada pelos predadores. Portanto, acima de uma ajuda para a caça, os cientistas acreditam que a característica de ausência de cheiros serve para a proteção da espécie.

Você gosta de melancias? Muita gente gosta, mas duvido que mais do que o garotinho do vídeo acima. Neste final de semana, Mitch Schibeci fez sucesso nas redes sociais da Austrália ao devorar uma fruta inteira durante uma partida de críquete entre o Melbourne Renegades e o Melbourne Stars.
Ele foi capturado no começo de sua comilança pela equipe de TV local, que passou a alternar imagens da partida com cenas dele devorando a melancia. E olha que menino comia a fruta com casca e tudo! É ou não é o marido perfeito para a Magali?
Algumas pessoas estão acusando o garoto de ser peça de uma campanha publicitária para melhorar a alimentação das pessoas nos estádios. A maioria se entope de cachorros-quentes nas partidas e colocar alguém para comer uma fruta inteira seria uma forma de chamar a atenção. Mas, convenhamos, mesmo que isso seja apenas marketing, não deixa de ser uma forma positiva de usar o fenômeno da viralidade virtual por uma boa causa, não é mesmo?
Veja o Video.

MAIS..